Portal Novos Tempos                                     

Home Política DEPUTADO Franzé vai requerer falência da Itapissuma

DEPUTADO Franzé vai requerer falência da Itapissuma

E-mail Imprimir PDF

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos e close-up

O deputado Franzé Silva (PT), que assinou ao lado do deputado Warton Lacerda (PT) o pedido de audiência pública para discutir o fechamento da fábrica de cimento Itapissuma, disse que solicitará da Procuradoria Geral do Estado (PGE) a cassação, junto ao governo Federal, do direito de mineração da empresa no Estado.

Franzé Silva também salientou que a fábrica se instalou no Piauí com inúmeras vantagens econômicas e que passou 16 anos lucrando. “A fábrica não se instalou aqui no nosso Estado para fazer caridade não. Eles tiveram muitos lucros durante todo o tempo de atuação e fecharam repentinamente, desempregando muitas pessoas e deixando uma dívida ativa junto ao Governo”, disse o deputado.

O deputado também disse que apresentará na Assembleia Legislativa requerimento solicitando o pedido de falência e bloqueio dos bens da Itapissuma para pagamento das dívidas.

A assessora para Atração de Investimentos Externos do Governo do Estado, Lucile Moura, representou o Governador Wellington Dias na audiência e disse que há 15 dias representantes do Estado estiveram reunidos com representantes do Grupo João Santos e que em nenhuma oportunidade foi colocado um condicionante para a reabertura da fábrica, desmentindo a informação do represente Humberto Araújo, que afirmou que, se o Governo do Estado garantisse levar água, a Fábrica seria reaberta.

“Existe algum erro de informação. Em nenhum momento essa condição foi colocada em nenhuma das inúmeras reuniões que o Governo teve com representantes da Fábrica. Inclusive estivemos reunidos há 15 dias e nada foi dito.

Também foi colocado na Audiência que outras empresas estariam interessadas em comprar a estrutura atual da Itapissuma. Em resposta, Humberto Araújo questionou se as empresa teria interesse em pagar o valor justo pela estrutura sabendo que não há água para a produção. “Se eles estiverem interessados em comprar nessas condições, a empresa está aberta a negociações”, disse.

Portal Novos Tempos - Texto: Laryssa Saldanha - Fonte: Alepi