LULA será lançado candidato à Presidência da República no dia 28 de julho!

 LULA será lançado candidato à Presidência da República no dia 28 de julho!

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores que se reuniu na segunda-feira, 23 de abril, em Curitiba, afirma em resolução que não se poderá falar em Justiça, nem em democracia enquanto o ex-presidente Lula estiver preso. O partido ressalta que lançará Lula formalmente candidato no dia 28 de julho, registrará sua candidatura no dia 15 de agosto e deve “apresentar ao país, nas próximas semanas” as diretrizes do programa de governo; leia a íntegra:

Em resolução nacional, o diretório nacional do PT, reunido em Curitiba na segunda-feira, 23 de abril, afirma que não se poderá falar em Justiça, nem em democracia enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estiver preso. De acordo com a nota do partido, “a liberdade do ex-presidente Lula tornou-se questão central para a retomada do processo democrático no Brasil”. A sigla afirma também que “Lula foi condenado sem provas, por juízes parciais, que sequer conseguiram apontar o crime que ele não cometeu. Foi massacrado pela TV Globo e por toda a mídia que apoiou o golpe de 2016. Sua defesa foi censurada nos meios de comunicação”.

“Não se poderá falar em Justiça no Brasil enquanto o processo de Lula não for revisto e anulado, pelas ilegalidades, arbitrariedades, manipulações e cerceamento de defesa de que o ex-presidente foi vítima na primeira e segunda instâncias. E não se poderá falar em Democracia no Brasil enquanto o maior líder popular do país permanecer encarcerado como um preso político, mantido em regime de isolamento, ao arrepio da lei, e sem poder recorrer em liberdade da sentença injusta, como é direito de todo cidadão ou cidadã”, diz. Segundo a resolução, o partido deve “apresentar ao país, nas próximas semanas, as diretrizes do programa de governo Lula”.

Leia a íntegra do texto:

Dois anos depois do golpe de estado que depôs a presidenta legítima Dilma Rousseff, o Brasil vive uma espiral de violência política, de obscurantismo e de agressões aos direitos fundamentais. A censura às artes, estimulada pelos setores mais retrógados, a perseguição policial, do Ministério Público e de juízes às universidades, que provocou a morte do reitor Luiz Cancelier, e os ataques à caravana de Lula no Sul do país são exemplos desse ambiente de ódio. Com enorme repercussão internacional, vimos o assassinato de Marielle e Anderson, que expôs dramaticamente a violência cotidiana contra mulheres, negros e LGBTs, paralelamente aos crimes contra camponeses e indígenas.

As investigações sobre a morte de Marielle e Anderson, iniciadas com alarde, se arrastam há mais de um mês sem nada esclarecer. No dia 7 de abril, a violência voltou-se contra o ex-presidente Lula, preso por decreto ilegal, inconstitucional e injusto de Sérgio Moro. Por sua liderança na América Latina e pelo reconhecimento internacional de seu governo, do combate à fome e à pobreza, a prisão de Lula repercutiu negativamente ao redor do mundo e despertou grandes gestos de solidariedade. A liberdade do ex-presidente Lula tornou-se questão central para a retomada do processo democrático no Brasil.

Adauto Ferreira – Portal Novos Tempos – Fonte: Brasil 247

Avatar

Por Adauto Ferreira

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

E-mail: adautoferreira1958@hotmail.com