EGÍDIO Brito teve morte cerebral confirmada pelos médicos do Hospital UNIMED

Egídio Brito  começou sua carreira como jornalista na Rede Meio Norte como produtor do programa de variedades do  apresentador Ieldyson Vasconcelos, o “Sabadão”,  e depois trabalhou nas emissoras de TV Cidade Verde,  Antena Dez e TV Clube.
 
Egídio Brito  nasceu em Teresina e  se formou em Jornalismo na Faculdade  Santo Agostinho.
 
“Estou sentindo muita tristeza. Ele não era só um grande talento, mas um grande amigo, que sabia ouvir a gente”, afirmou Denis Constantino, jornalista que começou sua carreira com Egídio Brito, na Rede Meio Norte.
 
Ieldyson Vasconcelos, que deu a primeira oportunidade para Egídio Brito na TV, disse que está arrasado. Ele lembra que conheceu Egídio Brito quando ele e o jornalista Denis Constantino foram entrevistá-lo e logo percebeu o talentoO apresentador do programa “Agora”, da Rede Meio Norte, jornalista Amadeu Campos, disse que Egídio Brito foi um vencedor:
 
“O Egídio foi um ser humano boníssimo e é um vencedor. Sua grande paixão de infância foi o jornalismo na televisão. De fã dos repórteres da telinha virou um dos grandes da Tv. Fará muita falta” , afirmou Amadeu Campos.
 
O coordenador de Conteúdo da Rede Meio Norte, Marcos Monturil, disse que a família Meio Norte vai sentir bastante a morte de Egídio Brito.
 
“A família Meio Norte vai sentir bastante a morte de Egídio Brito. Era uma pessoa muito querida, mas antes de trabalhar na Rede Meio Norte, Egídio já era um fã, um apaixonado pela Rede Meio Norte”.
 
 “Ele sempre disse que era um sonho para ele trabalhar na  Rede Meio Norte, que ele realizou esse sonho. A gente teve a honra de ter ele trabalhando com a gente. É um momento muito difícil , não só para familiares, mas também para todos que fazem a família Meio Norte”, declarou Marcos Monturil, chorando. dos dois.
 
“Que notícia triste. Estou acabado. Quem deu a primeiro oportunidade para ele fui eu, no ‘Sabadão’.  Ele e o Denis tinham um site e foram me entrevistar. Evi que os dois tinham grande talento. Egídio era um menino muito bom, muito talentoso. Como pessoa, era maA coordenadora de Produção da Rede Meio Norte, jornalista Karol Cortez, disse que Egídio Brito era daquele jornalista que só ficava satisfeito quando a reportagem estava perfeita.
 
“Egídio era um daqueles profissionais que só ficava satisfeito se tudo estivesse redondinho. Ele não poupava esforço para fazer o melhor sempre. Uma pessoa muito amável,  sempre disponível e com sorriso no rosto. Uma grande perda para todos nós”, declarou Karol Cortez.
 
A apresentadora do programa Revista Meio Norte, jornalista Karla Berger lamentou a morte de Egídio nas redes socias e contou como o conheceu. 
 
“Ele apareceu na minha vida de um jeito tão especial, lembro de quando ele ligava para a @meionorte na época eu apresentava o informe MN, era quase que sagrado ele ligar para a redação da Tv e dizer que estava me assistindo, e assim foi por um bom período, até que um dia o encontrei na C&A onde ele trabalhava na época, a emoção tomou conta dele por estar me vendo e ele começou a chorar de alegria, e eu comecei a chorar com ele, ele se espelhava em mim, dizia que era meu fã, era tão gostoso de ouvir, e é engraçado porque ele sempre me falava isso, como era sincero, era tão emocionante pra mim ver aquele sentimento, carinho e emoção, às vezes tão raro, e desde então nos tornamos amigos, e tamanha foi a minha felicidade quando ele disse que havia passado para o curso de Jornalismo que era o seu grande sonho, e a minha alegria e admiração por esse menino só aumentava, e quando ele passou a trabalhar comigo na mesma emissora, foi pra mim um sonho, a concretização de um sonho e entre idas e vindas na Tv, ele foi ganhando novos aprendizados le foi se destacando como um dos grandes Jornalistas, sempre com pautas muito bem elaboradas, como ele era caprichoso em tudo que fazia, ele era diferente na essência, o seu jeito apaixonado pelas suas conquistas, talvez o fizeram tão intenso como ele era, estava sempre muito bem humorado, mesmo diante dos problemas, ele sempre sorria, engraçado como mesmo fazendo parte da nossa profissão, ainda assim ele continuava me assistindo, quando não estava trabalhando e me mandava fotos, impressionante como ele amava televisão, o quanto esse mundo era mágico pra ele, sempre nos surpreendia, no nosso último contato eu pedi a ele pra ir ao médico, pois ele ultimamente pedia muito remédio pra dor de cabeça, saiu do camarim me prometendo que iria, só que a última coisa que eu poderia imaginar é que em tão pouco tempo após o nosso diálogo matutino, ele iria dar entrada em um hospital, entrar em coma”, disse a apresentadora.
 
Fonte: Meio Norte
Avatar

Por Adauto Ferreira

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

E-mail: adautoferreira1958@hotmail.com