“NINGUÉM morre quando permanece vivo no coração de alguém”, disse mestre Aprígio

 “NINGUÉM morre quando permanece vivo no coração de alguém”, disse mestre Aprígio

O céu certamente está em festa. É que o mestre José APRÍGIO que era natural de Exu, Pernambuco, partiu para o andar de cima na madrugada da segunda-feira, 27 de julho. Ele deve ter reencontrado seu amigo LUIZ, o rei do baião. José APRÍGIO morreu aos 79 anos de idade. Trata-se de uma figura muito conhecida e respeitada na região por ter sido o fabricante de toda indumentária do rei do baião, Luiz Gonzaga. “Do chapéu ao gibão”, disse certa vez o APRÍGIO ao Jornal Tribuna do Araripe, Jornal periódico que tinha como editor o jornalista Adauto Ferreira, editou do PNT.

De acordo com ROMILDO Aprigio, filho do mestre José APRÍGIO, seu pai estava internado no Hospital Regional Fernando Bezerra que está localizado na cidade de Ouricuri. Mestre APRÍGIO estava internado próxima de uma UTI. Estava numa sala normal e apresentava quadro bom, entretanto piorou de uma hora para outra e veio a falecer na madrugada, disse à reportagem do PNT o ROMILDO Aprigio. O filho de José APRÍGIO chegou a conversar com o médico que disse que o artesão APRÍGIO apresentava melhoras.

Conforme o ROMILDO Aprigio, seu pai teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há pouco mais de 10 anos. Não de sabe oficialmente se o mestre José APRÍGIO que faleceu no Hospital Regional Fernando Bezerra, tinha contraido o Covid-19. O primeiro exame (teste rápido) deu negativo. E o segundo exame, conforme o ROMILDO, o resultado do SWAB só deve sair entre três e quatro dias.

Adauto Ferreira – Portal Novos Tempos – Foto: Google

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

E-mail: adautoferreira@portalnovostempos.gmail | WhatsApp (88) 9 9496-3098 | Rua Sargento Orlando S. Campos, 08 - Araripina (PE)