CUPLA do PSD dá filiação de Eduardo Leite como certa para disputa ao Planalto

 CUPLA do PSD dá filiação de Eduardo Leite como certa para disputa ao Planalto

Derrotada nas prévias do PSDB, a pré-candidatura de Eduardo Leite ao Palácio do Planalto ganhou fôlego diante das conversas envolvendo a filiação do governador do Rio Grande do Sul ao PSD. De acordo com a âncora da CNN Daniela Lima, as negociações entre o tucano e o partido comandado por Gilberto Kassab estão avançadas.

A cúpula do PSD, principalmente a bancada da sigla no Senado e na Câmara dos Deputados já considera a filiação de Leite como certa. No entanto, o governador e o presidente do partido estão evitando confirmar ou desmentir a informação.

Kassab considera que a presença do governador do Rio Grande no Sul no PSD iria reinserir o protagonismo do partido logo no primeiro turno das eleições deste ano. Há, inclusive, a possibilidade de fazer uma composição com o MDB, que tem como pré-candidata a senadora Simone Tebet (MS). A jogada afastaria as tentativas de federação ou composição de bloco entre MDB e PSDB.

Aliados de Eduardo Leite reconhecem que a articulação avançou, mas defendem que o governador espere pelo menos até o Carnaval para definir se irá mudar de partido ou não.

O âncora da CNN Kenzô Machida conversou com o líder do PSD no Senado, Nelsinho Trad (MS), que considerou que o momento atual é propício para que os partidos realizem testes e estudem as melhores estratégias.

Em uma sinalização de que caso Leite se filie ao PSD terá o apoio irrestrito da legenda, Trad afirmou: “Ninguém treina o time para não jogar”. O senador ainda considerou que o governador preenche os requisitos ideológicos e pragmáticos da sigla.

No entanto, a possível candidatura de Eduardo Leite à Presidência da República pelo PSD depende de outro fator, o futuro da pré-candidatura de Rodrigo Pacheco (PSD-MG). O presidente do Senado é considerado possível candidato pelo partido, e a filiação de Leite deve passar pela recusa de Pacheco à disputa ao Planalto.

De acordo com informações da analista de política da CNN Renata Agostini, o presidente do Senado não está fazendo nenhum movimento de pré-candidato, seja através de conversas com aliados ou agendas públicas. Aliados de Pacheco dizem que ele está mais preocupado em cuidar das pautas envolvendo o Congresso Nacional, e que deve decidir sobre a possível candidatura em março.

O analista de política da CNN Iuri Pitta conversou com aliados de Eduardo Leite no governo do Rio Grande do Sul. Alguns desses membros do governo estadual já consideram como certa a renúncia do governador em março para de fato assumir a filiação ao PSD e a pré-candidatura à Presidência.

Portal Novos Tempos – Fonte: CNN

Avatar

adauto Ferreira

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado.

E-mail: adautoferreira1958@hotmail.com