17 de junho de 2024

MEDIDA Provisória que cria novo auxílio emergencial, não deverá ser votada

 MEDIDA Provisória que cria novo auxílio emergencial, não deverá ser votada

Parlamentares ligados ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmam que ele não deverá colocar em votação a medida provisória que prorroga até dezembro o auxílio emergencial e corta pela metade seu valor — pela proposta do governo, iria de R$ 600 para R$ 300.

A ausência de votação não afetaria o novo auxílio emergencial, já que as MPs entram em vigor assim que publicadas e têm validade de 120 dias. Ou seja, a medida provisória não precisa ser votada para valer até o fim do ano.

Ao não levar a MP ao plenário, Maia impediria um embate com a oposição — favorável à manutenção do valor do auxílio em R$ 600 — e evitaria qualquer risco de derrota.

Há o temor de que, até por conta da eleição deste ano, até parlamentares ligados ao governo se sintam pressionados a aumentar o novo valor proposto pelo governo.

Portal Novos Tempos – Fonte: CNN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

E-mail: adautoferreira1958@hotmail.com